O poder que a amamentação nos dá… e que a papinha nos tira

Home / amamentação / O poder que a amamentação nos dá… e que a papinha nos tira
O poder que a amamentação nos dá… e que a papinha nos tira

Amamentação. Respeito muito as mulheres que decidem não amamentar. Mas respeito MUITO mais as que amamentam. Por que dói.

Gente, como dói amamentar no primeiro mês. Passado esses trinta dias a coisa anda que é uma beleza, mas no começo… Muito louco essa coisa de usar algo que nunca foi usado – o bico do peito – ou foi usado bem pouco (como zona erótica, é claro). O pobre estava lá, ativo só de vez em quando e de repente tem de ser usado de três em três horas, assim sem mais nem menos. Ficar ao sol, passar mamão, apelar para pomadinhas, usar sutiã furado na gravidez, a verdade é que nada disso prepara o coitadinho para o que esta por vir. Só o instinto materno (e apenas ele) nos faz entregar os peitos para a criança.

E aí acontece algo surpreendente: você dá o peito, a criança engorda, se desenvolve, cresce, vira gente. Nada é mais poderoso do que isso. E você se sente mega blaster super hiper. E o bebê está sempre ávido pelo alimento, pede a todo momento, feliz.

Aí chegam as papinhas… que não sai do seu corpo, que precisam ser feitas, que o bebê nem sempre quer. Tudo bem que você ainda vai dar a comidinha para ele, escolher os ingredientes, ser criativa para fazê-lo abrir a boca. Mas não e a mesma coisa primitiva da amamentação. E a cada colher recusada vem a culpa, a frustração a sensação de que o dever não foi cumprido. Difícil lidar com essa mudança, né?

Dar de comer para uma criança não é tarefa para qualquer um…

beijos

Mônica, em momento de crise com a alimentação das filhas

22 thoughts on “O poder que a amamentação nos dá… e que a papinha nos tira

  1. Gostaria de deixar meu depoimento sobre a ajuda q o pai pode dar nessa hora tão importante para ambos. Pode parecer estranho. Mas, a melhor maneira das coisas darem certo na criação de um bebê é imitar os bichos. Qto mais usarmos o instinto, melhor para todos. No caso do bico do seio. O marido deve ajudar nesse preparo da chegada do bebê. Pequenas sucções pelo menos 1 mes antes do nascimento vão ajudar a fortalecer essa região do seio. Na epoca da papinha, o melhor é comer junto com o bebê. Ver os pais comendo vai incentiva-lo. O resto é amor. Na minha familia tudo isso deu certo.

  2. Mas amamentacao nao precisa doer nao! Com um mes, o bebe tem forca no pescoco pra fazer a pega ideal. Se estiver doendo, o negocio é dar uma passada no banco de leite pra aprender a amamentar. Com meu primeiro filho, um peito ele pegava bem, certinho, mas o outro, tinha toda uma ginastica, tinha que segurar a cabeca dele, mas com o tempo, pegou certo. sem dor, nada. prometo amamentar o terceiro ate os 5, quer dizer, 2 anos!

  3. Está certíssima. Nada é mais poderoso que a possibilidade de vocês nutrirem nossos filhotes. Parir e amamentar são como “super trunfo”: nada vence.

    Aí junto com parar de amamentar para dar papinhas, entra na jogada o pai que também pode fazer papinhas. E aí? Dá para lidar bem com a concorrência/competição/participação do pai?

    Beijo do Caio!
    @PaisModernos_

    1. Olha só Caio, mulher bem equilibrada, trabalhada e terapeutizada que sou (até parece…) não tenho o menor problema de passar o bastão para o pai. Sabe aquela história de que qualquer um pode matar, mas apenas o Rei pode ordenar que viva? Então, quem realmente tem poder sabe que pode dividí-lo sem problema algum. Mas… seu comentário me fez pensar e vai virar post na semana que vem.
      beijos

  4. O me conforta é a máxima: casa onde tem comida criança não passa fome.
    O duro é quer matar a fome com porcarias.

    Haja consciência, né?!

    Bjos e força.

    1. Obrigada Fabiana. Haja consciência mesmo. É a mesma luta de quando estamos de dieta. Como esquecer a existência do chocolate?
      beijos

  5. Mônica, eu já vi muito disso com meu irmão mais novo.
    Minha mãe fazia de tudo pra ele comer” papinha, mas foi ficando cada vez mais difícil, mas ela não desanimou e agora ele come de tudo.
    Torço por você, espero que dê tudo certo!!
    beeijos e boa sorte.

    1. Obrigada Cristina. Ótimo que você tenha a experiência feliz da sua mãe e acredite que tudo pode dar certo. Porque dá mesmo, só é preciso um tanto de paciência. Hoje foi só um momento saudoso que tive…
      beijos
      Mônica

  6. Eu me preparei bem durante a gravidez, meu médico me deu todas as dicas. Tomei sol diariamente e quando não tinha sol (dentro de casa tá gente) usava uma lâmpada, passava esponja vegetal, fazia exercícios com a seringa invertida, andava sem soutien enfim, tudo para não ter problemas com os mamilos. Correu tudo muito bem nessa e no segundo filho também. Na terceira filha que fui ter problemas por achar que estava acostumada não fiz nenhuma preparação. Resultado: mamilos rachados, fissurados, sangrando, etc durante 40 dias. Bom, mas já passou, e realmente achei mais difícil a adaptação às papinhas que eram mais cuspidas do que engolidas.

    1. Gostei de saber da sua experiência, Renata. Eu na verdade não me preparei tanto durante a gravidez e levei um susto! Mas veja, meu conselho continua sendo o de ter paciência no começo porque depois fica uma delícia, né?
      beijos
      Mônica

  7. Ai Mônica, que me sinto bem assim… E olha que meu Fred já tá com 9 meses, e tá querendo largar meu peito, que quase sem leite, já tá murchinho, tristinho…
    Mas faz parte, né… as dores e os prazeres da Maternidade!!!

    Beijos!!!

    1. Olha Fátima, desmamar e desfraldas são dois marcos importantes. É tipo um luto mesmo. Mas em compensação, o desenvolvimento da criança traz outros prazeres. A gente tem de se apegar neles, isso sim…
      beijos
      Mônica

  8. Oi, Mô.
    Noooossa esse post foi um momento remember total! Deu muita saudade de amamentar os meninos. E era exatamente assim que eu me sentia: poderosa. E sabe quantas vezes os meninos recusavam o peito quando oferecido? Nunnnnnca. Pergunta quantas vezes recusam a comidinha oferecida? Puf!
    bjs
    Pati

    1. kkkkkk, fiquei aqui imaginando um bebê recusando o peito! Isso NUNCA acontece… Será que se a gente inventar um prato em forma de peito eles comem mais?
      beijos

  9. graças a deus eu não tive nenhum problema para amamentar. é só prazer desde o começo. mas sei que isso é raridade. entendo esse seu sentimento. felizmente hoje em dia a recomendação oficial é manter o aleitamento até os dois anos de idade pelo menos. assim posso manter esse “poder e prazer” por mais um tempinho sem que as pessoas olhem torto! quanto às comidinhas, tem dia que é duro mesmo… mas é tão gostoso também quando curtem, né?

    1. É mesmo, Paula. Não cheguei a falar isso no post mas é uma delícia quando as crianças comem, né? Nos sentimos poderosas de novo.
      beijos
      Mônica

  10. Eita, Mônica… não deprime, não desiste!
    Graças a Deus o Diogo não recusa comida (só frutas e sucos, saco) e não largou o peito – o que me mantém no poder, já que a comida qualquer um pode dar! kkkkkk
    Beijos e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.