Papa de ovo e mandioquinha

Home / Papinhas / Papa de ovo e mandioquinha
Papa de ovo e mandioquinha

papa de ovoPapinha criada por Maria Luiza de Brito Ctenas *

PAPA DE OVO E MANDIOQUINHA

1 gema **

2 colheres de sopa de arroz

2 mandioquinhas pequenas picadas em pedaços pequenos

2 colheres de chá de cebola ralada

2 colheres de chá de azeite de oliva

1/2 colher de chá de sal

Como fazer a papa de ovo

Cozinhe o ovo por 15 minutos, descasque e separe a gema. Reserve. Refogue o arroz com a cebola e o azeite por 1 minuto. Incorpore o sal e a mandioquinha, cubra com água. Deixe cozinhar por vinte minutos ou até ficarem bem macios e com pouco líquido. Coloque metade no prato, junte a gema e amasse com garfo.

* Esta receita está no livro “Azeite de Oliva Espanhol na Alimentação Infantil”, da C2 Editora

** A receita original sugere duas gemas, mas acho que é muito para uma criança entre 6 e 12 meses.

11 thoughts on “Papa de ovo e mandioquinha

  1. Olá!
    Vi neste site várias receitas de papinha doces e salgadas. Ainda não fui em nutricionista infantil, mas a pediatra sempre me esclarece para evitar produtos industrializados, pelo menos, enquanto meu filho não completa um ano. Tento deixar a alimentação dele longe do que seja industrializado, assim, ele se alimenta, basicamente de frutas, legumes, verduras e leite materno, e sempre respeitando os horários. Aqui vi receitas que utilizam mel, açúcar, leite (materno ou industrializado), iogurte natural, etc. Posso, então, pegar algumas dessas receitas e substituir esses ingredientes ou não colocá-los, ficando com a mesma qualidade nutritiva?
    Abraços.

    1. Oi, Jackeline.
      Sugerimos que você siga sempre as orientações da pediatra do seu filho. Os produtos industrializados que sugerimos nas receitas são alimentos com uso bastante comum na maioria das casas brasileiras e liberados por pediatras. Mas o ideal é manter a alimentação do bebê o mais livre dos industrializados possível. Então, se você consegue, mantenha a dieta dessa forma.

      Abraços,
      Patricia

  2. olá,gostaria que vc me ajudasse,meu filho tem um dois ano e sete meses e naõ come nada,a comida dele sempre foi feita separada sabe aquela comidinha para bebe,coloca tudo para cozinha junto sem fritar a cebolo no oleo
    coloca os legume,verduras,carne tudo junto e cozinha,quando esta quase secando coloca o arroz e pronto,é isso que o meu filho come até hoje,quando dou arroz e feijaõ, nao pode colocar a mistura porque ele não come,se coloca bife bem picadinho dá ancia e ele vomita.para dar arroz e feijao puro não dá,oque eu faço para ele comer a comida da famila e não a de bebe.

  3. Vou fazer como você sugeriu … e, claro, continuar acompanhando as ótimas dicas que vcs sempre dão. Aliás, hoje tem post da Patrícia também sobre isso.
    Só quero que Marina cresça forte e saudável e tendo uma boa relação com a comida.
    Beijo para vocês.

  4. Muito obrigada pelas dicas!!
    Mariana já está mesmo enjoada das sopas/papinhas!! Tá colocando tudo para fora.
    A minha preocupação é que ela não coma todos os nutrientes necessários agora que vai começar a comer a “comida da família”. Afinal, na papinha, eu coloco tudo… até mesmo aquilo que, aqui em casa, não comemos, tais como brocólis, couve-flor, mandioquinha…
    No dia que a Ùrsula não come a “comida da família”, vc oferece em seguida a sopinha? Isso não pode atrapalhar um pouco? Afinal, ela pode pensar que se não comer vai ter sempre a sopinha.
    Adorei mesmo as dicas! Mas, que tal mais post sobre o assunto. Cardápios e modos de preparo para crianças nessa faixa etária.
    Beijo grande.

    1. Viviane, que bom que as dicas ajudaram. Vou fazer mais posts sobre esse assunto sim! Sobre a sopa da Úrsula, o segredo é não dar em seguida a uma rejeição. Faço isso quando vejo que ela já está dois dias sem comer muito. Aí, tem sopa em uma refeição. Ela não se liga que é um truque meu porque aqui em casa adoramos sopa então volta e meia tem mesmo, rs,rs.
      Agora, sua preocupação sobre ela não comer todos os nutrientes quando passa para a comida da família é mesmo justificada. Por que é aí que nós, adultos, nos damos conta de como comemos mal!! Então, de agora em diante, comida da família tem de ter uma verdura e um legume em toda a refeição. Ah, e os pais tem de comer para dar o exemplo. Eu não gosto nem de verdura, nem de legumes e muito menos de frutas. A Patrícia tem histórias ótimas sobre quando eu estava grávida e ela ficava no meu pé para comer melhor. Depois que as meninas nasceram, aprendi a comer essas coisas. Já tenho até os meus preferidos! É uma transformação na vida da gente. Penso que ser mãe (e pai) é redescobrir a freira, aprender a diferença de todas aquelas folhas verdes, voltar a comer mandioquinha…Não tem jeito, Viviane. Temos de comer direito!
      beijos

  5. Olá, meninas!
    Tenho acompanhado o blog de vocês desde o início e as receitas de papinhas tem ajudado bastante a variar o cardápio da minha filhinha Marina. Só que agora ela já está enjoando as papinhas, não aceita mais e já está mais do que na hora de passar a comer a “comida da família”. Mas, confesso que estou perdida: o que servir aos pequenos? Será que vocês poderiam me ajudar sugerindo cardápios para essa fase. Minha filha tem um ano e dez meses.
    Obrigada pela atenção.

    1. Oi Viviane, que bom que as papinhas te ajudaram. Mas agora acho que realmente chegou a hora da Marina comer a “comida da família”. Criança nessa idade já pode comer praticamente de tudo – observe apenas se o pediatra alertou sobre algum alimento específico no caso dela. Deixe para mais tarde apenas os frutos do mar, embutidos e carne de porco (apesar de que minhas filhas comiam). Falo isso porque foi justamente o que aconteceu com a Úrsula, minha pequena, que tem um ano e oito meses. Sabe o que eu faço? Adapto o cardápio adulto para ela. Por exemplo, se tem bife com molho de mostarda, o dela vai ter só um requeijão por cima. Se faço um cozido, deixo para colocar temperos mais picantes como páprica e molho inglês depois de separar a parte dela. Ofereça peixe sem espinha, macarrão sempre dos pequenos (tem o mini penne e as mini chonchas já no mercado). Para essa transição, o legal é servir a comida bem picadinha. Comece com ingredientes que você já sabe que ela gosta. Eles amam arroz, então às vezes, experimente servir uma mistura como se fosse um risoto, de arroz com carne móida e legumes. Agora, vai ter dia que ela não vai comer nada. A Úrsula passa por essas fases e aí eu sirvo sopa cremosa. Não sei se é preguiça de mastigar, mas a sopa sempre dá certo.
      Um beijo e boa sorte!
      Mônica

  6. Olá!

    Você pode ajudar o Brasil a continuar livre da poliomielite! Ajude a divulgar informações aos papais e mamães, para que eles não se esqueçam de levar seus filhos menores de cinco anos para tomar a segunda dose contra a paralisia infantil, no próximo dia 14. Essa simples atitude faz com que as crianças do nosso país estejam protegidas de uma grave doença.

    Caso tenha interesse em ajudar a divulgar a Campanha Nacional de Vacinação Infantil, e para obter mais informações ou materiais da campanha – como o filme e banners -, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Obrigado por sua colaboração!
    Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.