Porque você não deve desistir de amamentar

Home / amamentação / Porque você não deve desistir de amamentar
Porque você não deve desistir de amamentar

 

011 No peito
Eu e Isabella aproveitando o momento da mamada para tomar sol no quintal de casa

Não, não me venha com o papo de que amamentar é um ato natural, primitivo, que mãe e filho se entendem de primeira. Isso é tudo balela. Pode até mesmo ter algo de instinto, principalmente do bebê cheio de fome. Mas nós, pobres mulheres acostumadas a ver os seios como ferramenta de prazer e enchimento para o decotão, somos pegas de surpresa: o seio vira peito!

E peito, minha gente, não tem nada das funções antigas. Primeiro porque ele cresce – em alguns casos, mais do que precisava. Segundo porque ele passa o dia todo enchendo e esvaziando. O bico, que no máximo ganhou deliciosas mordidas em noites de sexo selvagem, tem sua vida passiva exterminada. Agora é exigido a cada três horas para um trabalho árduo. E sim, no começo doi. Doi muuuuito! Mesmo quando o santo bebê faz a primeira pega direitinho – porque você não ficou nervosa e conseguiu escutar o que a enfermeira estava tentando explicar na primeira mamada – mesmo assim doi. O coitado nunca tinha sido tão usado antes!!!

Lembro que na segunda noite na maternidade, acordei de madrugada exatamente na hora da mamada. E meu bico doía tanto que pensava em qual universo fazia sentido passar por tamanha tortura. Como é que a humanidade tinha ido para frente? Quando escutei o chorinho de fome da minha filha, fez se a luz: eu TINHA de dar comida para aquela criatura. Nada mais importava. O instinto de alimentá-la com o meu leite ultrapassava qualquer dor. Alguém podia ir lá cortar o meu peito fora, mas meu bebê ia ter o meu leite!

E é exatamente nesse instinto que as mulheres devem se apegar na hora de amamentar. O de alimentar a cria. Não na pressão da sociedade e das redes sociais. Não nas xiitas de plantão. Não nas campanhas do governo. Apegue-se a você mesma e tenho certeza de que vai encontrar a garra suficiente para continuar com a amamentação.

Porque, vamos combinar, o primeiro mês não é fácil. Acho que você nunca esteve tão disponível para alguém nem quando corria atrás daquela promoção dos sonhos. E de repente tem aquela coisa pequena e fofa envolta nos cobertores com todo o poder sobre o seu tempo. Um dos meus truques foi de cara esquecer a foto linda da mãe amamentando num quarto todo rosa acompanhada apenas da luz do crepúsculo. Eu amamentei na cozinha, na varanda, no carro, no metrô, no museu, no restaurante, na festa de alguém, na frente dos amigos, na frente dos colegas de trabalho do meu marido, e até mesmo na frente da televisão porque adorava a novela das seis que passava na época. E assim, venci o angustiante primeiro mês.

E ainda tem aquela série de coisinhas chatas para você lutar contra: um parente dizendo que seu leite é fraco por isso o bebê não cresce, um companheiro sem paciência para ajudar nas mamadas noturnas, peito empedrado, peito sem leite, a confusão que é lembrar qual peito deu por último – e até mesmo se essa é a melhor tática – adivinhar se o bebê mamou tudo (porque os seios não são tranparentes e com graduação?). Menina, mande os parentes e os companheiros sem noção de solidariedade às favas e keep walking. Vá pela tentativa e erro e uma hora vai acertar!

No segundo mês, é bom explicar, tudo entra nos eixos. Você já se acostumou que o peito agora é peito, os bicos já estão fortinhos o suficiente para dar conta do recado. E finalmente é possível descobrir como é maravilhoso olhar para aquele ser que você alimenta e vê crescer na sua frente. NUNCA MAIS VOCÊ TERÁ A MESMA SENSAÇÃO. Então, aguentem o primeiro mês, mulheres. Firmes e fortes. Escutem todos os conselhos, experimentem todos os truques, ache o que é melhor para você, mas amamente. Correndo o risco de ficar bem piegas, esse é o nosso maior presente! E quando acabar, vai deixar uma saudade imensa – e aí você vai ficar escrevendo posts para relembrar a sensação…

beijos

Mônica

P.S. Esse post não é patrocinado, mas preciso contar que para mim, o maior truque era usar a pomada da Lansinoh. Ganhei na maternidade e andava com ela no bolso tal qual talismã, passando a todo momento – nem sei se precisava tanto, mas enfim, não vivia sem ela!

11 thoughts on “Porque você não deve desistir de amamentar

  1. Mamãe no segundo baby ah 20 dias com muita dor nos seios. Antes eram as fissuras, agora sinto como se o seio estivesse assado. Pedindo forças a Deus pra nao desistir.

  2. Eu sou da area da saúde e sempre incentivei as mamães na amamentação,achava um absurdo algumas mães dizerem que não estavam conseguindo amamentar por algum motivo,quando estava grávida do meu primeiro filho nunca passou pela minha cabeça que eu não fosse amamentar,o bico do meu seio é muito pequenininho então desde o começo da gravidez eu fui tentando fazer um bico melhor puxando-o com uma seringa,ele até aumentou um pouquinho mais não o suficiente para o meu filho conseguir uma boa sucção,meu filho nasceu de 37 semanas com baixo peso 2,300 kg,e assim que o colocaram no meu peito ele não sugava de jeito nenhum,conclusão já teve de tomar complemento,no dia seguinte eu tentei o dia todo colocar ele pra sugar e ele não sugava,só conseguia sugar a chuquinha,ele chorava muito quando eu tentava fazer ele mamar no meu peito,então comprei bico de silicone,tirava leite com a bombinha,tentei de todas as maneiras e nada ele só queria saber da chuquinha,com o bico de silicone até que ele sugava um pouco mais não o satisfazia e sempre tinha de dar a chuquinha,me senti um lixo,uma fracassada,fiquei arrasada.Tentei dar o peito para o meu filho durante um mes mais ele não conseguia sugar no meu bico,ficava estressada e então o leite foi diminuindo até secar de vez,meu filho toma complemento e mesmo assim está forte,saudável,crescendo e se desenvolvendo normalmente e é um bebê feliz,acho que as pessoas em geral tinham de apoiar as mães que não conseguem amamentar,muitas tentam se esforçam mais infelismente não dá certo,e todos só ficam falando tem que amamentar,o leite materno é o melhor e etc….,nós sabemos disso só que se não dá certo,crucificar a mulher que não conseguiu não resolve nada só a deixa triste e estressada…..

  3. Adorei o post, procuro a Lansinoh pelas farmácias e não encontro, acabei encontrando uma que se chama Lanidrat que está me ajudando!
    Eu estou amamentando ha 17 dias, está bem difícil mas não vou desistir!
    Da outra vez usei a casca de banana, mas limpava muuito bem pra não infeccionar, deu certo! Por enquanto ainda não usei mas se sentir necessidade usarei novamente.
    Abraços!!!

  4. Eu amamentei os meus dois, livre demanda, por seis meses exclusivos.
    Mas na amamentação da Isa eu sofri MUITO. Meu peito sangrava e perdi um pedaço do bico.. que dor!
    Até que uma amiha chegou com um tubinho de Lansinoh e entrei no paraíso.
    Meu médico não queria, me recomendava casca de banana ou mamão (como disse a Cynthia) mas no estado em que estavam meus seios eram absolutamente ineficientes…
    Amamentar é bom demais. Me sinto orgulhosa por ter conseguido!
    beijos

    1. Nossa Helena, imagino a dor que você sentiu. Acho que, se acontecesse comigo, teria ficado traumatizada com a amamentação. Eu também sofri muito na amamentação do Samuel, há 12 anos, quando a Lansinoh, era um luxo extremo. Na verdade, só fui conhecer a pomada na gravidez do Miguel. E o meu peito também ficou em estado deplorável na amamentação do Samuel. Eu ficada na janela do apartamento de topless tomando sol para ajudar a cicatriz. Coloquei chá de camomila, casca de mamão, de banana. Nada disso adiantava. Tive de ir na raça mesmo. às vezes, mordia uma fralda para controlar a dor. Depois de 20 dias tudo melhorou pois os bicos cicatrizaram. Também tenho orgulho de ter amamentado.
      Bjs,
      Patricia

  5. Pra mim foi difícil amamentar por uma semana, meus seios enchiam muito o bebê não mamava tudo, eu tive que tirar com a bombinha , porque não aguentava de dor, mas depois disso , graças a Deus deu tudo certo.
    Tinha os parentes dizendo que eu tinha que dar mamadeira pra ele, que só meu leite não sustentava (e blablala) , isso ouvi até os seis meses , mas insisti e amamento meu filho até hoje (ele esta com 8 meses) e pretendo amamentar por muito tempo.
    Eu ri muito na parte dos lugares que você disse que amamentava kkkkk
    Eu também sou assim, minha família diz que eu sou meio india, amamento até no chão, sentada na “posição de yoga” rsrsrsrsrs
    beijinhos, adorei seu post. AMAMENTAR É TUDO DE BOM.

  6. qnd o Gu nasceu, na 41ª semana de gravidez numa cesarea, eu me senti um lixo de mulher, pq ñ entrei em tp, não tive dilatação… Eu precisava suprir aquela frustração de ñ ter parido do jeito q eu queria… a Amamentação foi a minha maneira de dizer “yes I can!”…
    Mas não foi fácil… na primeira semana eu tirei de letra, ai o bico rachou, sangrou e eu dava o peito com medo, segurando a mão da minha mãe e chorando desesperadamente… mas não desisti, eu precisava daquilo, eu precisava saber q eu podia amamentar custasse oq for!
    muitas dicas, pomadas, casca de banana etc… oq deu certo mesmo comigo foi o banho de luz direta (passa o leite do próprio peito no bico e coloca um abajur ligado apontando pro peito, bem pertinho, pra “fritar” o bico!)… tiro e queda, toda mamada eu fazia isso. e o Gu mamava de uma em uma hora! e ficava 40 minutos em cada mama! era tenso, mas passado o primeiro mês, eu me senti realizada!
    Pratico livre demanda, ele mama praticamente de 2 em 2 horas, mas agora fica 10 minutos em cada mama….
    na madrugada eu nunca lembro qual eu dei por ultimo!, de dia as vezes eu esqueço… mas se o peito esvazia ele se contorce todo e chora, ai eu troco e pronto!
    eu sempre falo pras mães dos grupos q faço parte “se vc não estimular, não vai dar leite mesmo!”…
    mas as vezes acontece de a natureza simplesmente ir contra….
    dou graças a Deus q tenho bastante leite… acho q se não fosse a amamentação eu seria muito mais frustrada…
    foi a amamentação q me salvou!!!

    adorei seu blog! vou linkar ele no meu tá?

    beijos!

  7. o post é otimo!
    cidado apenas com essas dicas de casca de banana, casca de mamao, compressa de ricota…todos sao alimentos perecíveis e podem causar uma bela infecção ao invés de ajudar, pode piorar.
    bjs de uma mae que sofreu muito no primeiro mes também, e agora tudo começa se ajeitar…

  8. Infelizmente, não tive a mesma sorte de vcs, tentei amamentar por 1 mês e meio, mas meu filho não ganhava peso e chegou até a perder bastante peso! Por isso tive que entrar com o complemento e o pouco leite que eu tinha foi acabando. Acho que devemos sim persistir com a amamentação, mas sem esquecer que o mais importante é a saúde do nosso filho. Minha vizinha insistiu por dois meses com a amamentação exclusiva e o filho dela foi parar na UTI, pois ela não tinha leite suficiente para amamentá-lo! Por isso caso estejam em dúvida, acompanhem de perto com o pediatra para que isso não aconteça!

  9. Eu me sinto contente por ter amamentado meus dois, nunca precisei dar complemento. Vejo com as amigas que isso ocorre muito, o médico acaba indicando o complemento, aí acabam desistindo de amamentar, dizendo que o leite vai acabando. Sem o estímulo constante é bem natural que vá acabando né? Não é fácil no começo, por mais que o peito não rache, ele acaba ficando assado. Mais do que o lansinoh, que tb usei, a casca de banana fazia verdadeiros milagres na cicatrização, entre uma mamada e outra, eu acabo indicando pra querm me pergunta (morrendo de medo de ser crucificada kk)
    No fim das contas, amamentar é muito bom, para as mães e para os filhos. Adorei o post! beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.